Câncer de cabeça e pescoço deve acometer mais pessoas em 2020

Julho dá início ao segundo semestre de 2020, ano que começou com muitas dificuldades e incertezas, associadas ao anúncio mundial do Covid-19. Mesmo ainda em meio à pandemia do novo Coronavírus, os Hospitais de Câncer pelo Brasil alertam a sociedade sobre o câncer de cabeça e pescoço que, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), deve acometer, ainda em 2020, 7.940 pessoas no Nordeste, sendo 1.220 em Pernambuco. O termo câncer de cabeça e pescoço é utilizado para o conjunto de tumores que se manifestam no rosto, boca, laringe, faringe, glândulas parótidas, glândulas salivares, tireoide, e seios da face e pescoço. Com o mote “Fuja dos fatores de risco. Fique atento aos sinais”, a campanha Julho Verde reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce desses cânceres.

Historicamente essa doença está ligada ao consumo excessivo do tabaco e álcool, má condição de higiene oral, infecção pelo HPV (papiloma vírus humano) – transmitido no ato sexual desprotegido – e exposição ao sol, dependendo do tipo de câncer. “A prevenção primária se enquadra em evitar os fatores de risco, como não fumar, não consumir bebidas alcoólicas em excesso e não praticar sexo oral sem proteção. Manter hábitos saudáveis, uma boa higiene bucal, utilizar protetor solar e fazer visitas regulares ao dentista pode propiciar diagnósticos em estágios mais iniciais e garantir o sucesso do tratamento”.

O diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento são fundamentais para a cura desses cânceres, porém, o diagnóstico tardio é uma realidade (60% dos casos), deixando sequelas psicológicas e funcionais no paciente, como a perda da voz, no caso do câncer de laringe, onde é necessário realizar a laringectomia total (retirada total da laringe), por exemplo. “A falta de informação, a busca tardia por um profissional e a dificuldade de encontrar médicos especializados são os principais motivos para o diagnóstico tardio. Ao identificar uma ferida na boca que não cicatriza, um sangramento sem motivo aparente, corrimento nasal de odor fétido, rouquidão, perda de peso sem motivo, e nódulos no pescoço, é preciso buscar ajuda de um especialista”.

O tratamento para os cânceres de cabeça e pescoço, na maioria dos casos, tem como tratamento a cirurgia, mas em alguns casos, dependendo da gravidade do tumor, pode-se optar pela quimioterapia, a radioterapia ou a associação de ambos. O tratamento desses tumores, em muitos dos casos, também levam os pacientes a precisarem de acompanhamento com fonoaudiólogos, enfermeiros e fisioterapeutas para proporcionar melhores resultados e qualidade de vida, visto que a cirurgia, em casos avançados, pode comprometer a fala e funções psicológicas.

2020-08-12T22:04:06+00:00