Coronavírus, COVID-19 e Risco nos pacientes com câncer

Coronavírus, COVID-19 e Risco nos pacientes com câncer

O mais recente coronavírus identificado, um beta-coronavírus do tipo RNA, causa a infecção chamada de Coronavírus Disease 2019, ou COVID-19. Na literatura médica, também pode-se encontrar a doença denominada de síndrome respiratória aguda do coronavírus 2, e o nome do vírus como SARS-CoV-2. Pessoas com hipertensão arterial sistêmica, diabete mélito, doença cardíaca, doença pulmonar, câncer e outras condições que causem diminuição da imunidade tem maior risco de desenvolver a forma mais grave da infecção.

Sintomas da COVID-19: o mais comum é ocorrer febre, cansaço e tosse seca; os sintomas geralmente são leves e iniciam gradualmente. Pode haver também dores no corpo, congestão nasal, nariz correndo, dor de garganta e diarreia. Na maioria dos casos (80%), há recuperação espontânea da pessoa infectada, sem necessidade de tratamento especial. Quando houver febre, tosse e dificuldade de respirar, o paciente deve procurar atendimento hospitalar; os demais casos não devem ser tratados no hospital, mas sim, mantidos em casa até recuperação.

Como a COVID-19 se espalha:

  • contato de pessoa a pessoa: por gotículas do nariz (espirros, nariz correndo) e boca (tosse, respiração com gotículas);
  • superfícies com as gotículas das pessoas infectadas (tocar e depois colocar a mão na boca, nos olhos ou no nariz).

Ainda não há evidências de que o vírus seja transmitido pelo ar (sem as gotículas), então, não é preciso que pessoas saudáveis usem máscaras.

Máscaras somente são recomendadas para os profissionais de saúde que atendem os pacientes infectados, para pessoas que cuidam desses pacientes em casa, para quem está com tosse e espirros ou para as pessoas que sabem ter a infecção reduzirem a transmissão para outras pessoas.

Risco nos pacientes com câncer

Os pacientes com câncer em tratamento oncológico parecem ter maior risco de infecção grave, embora o número de casos de infecções nesses pacientes seja pequeno. A frequência de pacientes com câncer e COVID-19 varia de 0,9% a 1% na literatura. Recomenda-se que todos os pacientes oncológicos em tratamento tenham cuidado redobrado para não adquirir a infecção, evitando contato com pessoas com sintomas e com pessoas que tenham viajado para áreas com a epidemia, evitando viagens desnecessárias e também locais com aglomerações de pessoas. Atenção: os pacientes não devem interromper seu tratamento oncológico!

Como se proteger da infecção:

  • primeira e mais importante medida: LAVAR AS MÃOS frequentemente com água e sabão ou higienizar com álcool-gel – essas 2 medidas simples matam os vírus que estiverem em suas mãos;
  • manter pelo menos 1 metro de distância das pessoas, de uma forma geral (especialmente das que estiverem tossindo e espirrando, pois pode haver partículas virais nas gotículas provenientes da tosse e do espirro de pessoas infectadas);
  • evitar tocar nas mucosas dos olhos, do nariz e da boca (nossas mãos podem tocar em superfícies infectadas pelo vírus e levar as partículas virais para nossas mucosas; a partir daí, o vírus pode entrar no nosso organismo);
  • seguir uma adequada higiene respiratória: ao tossir e/ou espirrar, cobrir sua boca e nariz com seu braço ou antebraço (e não com suas mãos); após usar lenços de papel para limpar as secreções do nariz e da boca, colocá-los imediatamente no lixo;
  • ficar em casa se não estiver se sentindo bem, mesmo que os sintomas sejam leves, como dor de cabeça, febre baixa e nariz correndo (para não contaminar outras pessoas, caso você esteja com o vírus);
  • evitar viajar para ou frequentar locais onde há casos de COVID-19;
  • buscar informação em fontes confiáveis – não espalhar nem acreditar em notícias falsas (fake news).

 

Recomendações para os pacientes com câncer

  • Não se recomenda adiar tratamentos oncológicos já em curso;
  • Quem já terminou o tratamento oncológico há mais de 1 mês deverá ter os mesmos cuidados que a população em geral, lembrando dos grupos de risco citados no texto acima;
  • Quem tem consulta de revisão de rotina agendada deve falar com sua equipe médica para avaliar se a consulta pode ser postergada.

Os serviços de quimioterapia e radioterapia estão considerando a necessidade de ajustes na sua rotina para maximizar a segurança dos pacientes, sempre discutindo caso a caso, à semelhança do que está ocorrendo em todo o hospital. Estamos trabalhando bem próximos ao Serviço de Controle de Infecção e recebendo informações atualizadas diariamente, sobre a repercussão do COVID-19 no nosso meio.

2020-03-23T19:17:07+00:00