Entenda o funcionamento do coração:

O coração é o órgão responsável por bombear o sangue para todo organismo, levando o oxigênio e os nutrientes essenciais para as células do nosso corpo. Sua estruturada é formada por: miocárdio (músculo), artérias coronárias, feixe de condução elétrica, válvulas cardíacas e pericárdio.

Sucintamente, o miocárdio é um músculo altamente especializado, sua contração (cerca de 60-100 vezes por minuto) gera o bombeamento do sangue. A insuficiência cardíaca ocorre justamente quando o miocárdio não é capaz de ejetar o sangue de forma eficaz. O seu batimento regular é gerado através de um estímulo elétrico que percorre o coração pelas fibras nervosas. Distúrbios neste processo geram as arritmias.

As artérias coronárias, por outro lado, irrigam o miocárdio; suas obstruções levam a angina e infarto. As válvulas cardíacas permitem o fluxo unidirecional do sangue pelas cavidades do coração, o prejuízo no seu funcionamento gera, na ausculta cardíaca, o sopro. Por fim, todas estas estruturas são envoltas por uma membrana chamada pericárdio.

A saúde do seu coração é preciosa; para que tudo funcione bem no corpo humano é imprescindível que este órgão esteja em ótima forma. Propriamente por essa razão, veja abaixo 7 atitudes eficazes que você pode tomar para cuidar do seu coração:

 

Controle do Colesterol

O colesterol é um tipo de gordura encontrado naturalmente no organismo, porém quando em excesso pode ser muito prejudicial. Existem vários tipos de colesterol; o HDL conhecido com “colesterol bom” leva a gordura dos vasos para o fígado onde é metabolizada, já o LDL conhecido como “colesterol ruim” apresenta maior tendência a depositar-se nos vasos levando a obstruções e aterosclerose.

Uma vez diagnosticado o colesterol alto (chamado de dislipidemias), o médico deve ser contatado para saber as causas que levaram aa alterações e planejar o melhor tratamento. Dentre as causas de dislipidemia podemos citar: o fator genético, alimentação inadequada entre outras doenças que podem levar a elevação do colesterol.

 

 

Controle de Pressão

A pressão alta é deletéria ao coração. Na vigência de hipertensão o coração tem um trabalho muito maior para o bombeamento eficaz do sangue. Em longo prazo essa sobrecarga leva ao remodelamento miocárdico. Muitas vezes, porém, esse remodelamento é feito de maneira caótica, levando a hipertrofia muscular sem um concomitante aumento do aporte sanguíneo, ademais gera prejuízos tanto na força de contração do músculo cardíaco quanto no relaxamento do músculo cardíaco. Pressões em níveis adequados garantem um miocárdio com função preservada além de ser muito importante para a integridade dos vasos sanguíneos em todos os órgãos.

 

Controle do Diabetes

O diabetes é uma doença crônica na qual se dá um aumento da glicemia, ou seja, dos níveis de açúcar no sangue, que o organismo não consegue trazer de volta à normalidade.

Os níveis elevados da glicose podem com o tempo favorecer o aparecimento de complicações crônicas da doença tais como: danos aos rins, retina (visão), nervos periféricos e sistema cardiovascular.

A doença cardiovascular no portador de diabetes é mais grave e mais precoce; pode ocorrer até 15 anos mais cedo que na população não diabética. O controle da hiperglicemia e o diagnóstico precoce são importantes para sua prevenção.

Hábitos alimentares saudáveis

Os alimentos influenciam diretamente não só o processo aterosclerótico, mas também os níveis lipídicos no plasma, resistência a insulina e metabolismo glicídico, pressão arterial, fenômenos oxidativos, função endotelial (parte de dentro das artérias em contato com o sangue) e inflamação vascular. A prescrição de dieta deve ser individualizada, mas em geral recomenda-se a substituição de ácidos graxos saturados por ácidos graxos insaturados na dieta. É preciso que se estimule o consumo de leguminosas, frutas e verduras. Tão importante quanto uma dieta equilibrada é evitar o consumo exagerado de sal e álcool, pois o uso prolongado e abusivo pode causar danos irreversíveis ao coração.

 

Atividade física

Fundamental para a saúde miocárdica é um bom condicionamento cardiovascular. Mais do que atividade física recreativa é necessário exercício físico regular de intensidade moderada que promova um estímulo cardíaco controlado. A atividade física adequada tem impacto na secreção hormonal, no sistema cardiovascular e efeitos psicológicos. Sendo eficaz inclusive na prevenção primária e secundária das doenças cardiovasculares.

É fundamental, no entanto, que se faça uma avaliação médica adequada antes do início da prática de atividade física para o correto mapeamento de quais atividades são seguras à saúde e qual sua intensidade para cada pessoa. O ideal é que a atividade física não seja nem leve em demasia, a ponto de ser apenas recreativa, nem pesada demais a ponto de comprometer a sua saúde.

 

Cessação do tabagismo

A mortalidade mundial relacionada ao tabaco é, anualmente, de 5,4 milhões de pessoas. Na queima de um cigarro há produção de 4.720 substâncias, das quais 60 apresentam atividade cancerígena e outras são reconhecidamente tóxicas.

O tabagismo é um importante fator de risco para doenças cardiovasculares potencialmente evitáveis. Quanto maior o tempo de exposição e a quantidade de cigarros inalada maiores serão os danos à saúde. Por isso ATENÇÃO, nunca é tarde para parar de fumar.

 

Controle do estresse

O organismo, frente a situações de estresse sofre uma resposta adaptativa, aumentando, por exemplo, a liberação de hormônios como o cortisol, adrenalina e noradrenalina. Essa resposta fisiológica do organismo é benéfica, porém quando ocorre de maneira exacerbada pode ser prejudicial. O excesso de estresse pode levar não só a problemas psicológicos, como também aumenta o risco de doenças cardíacas. Além disso, muitas vezes está associado a hábitos nocivos como tabagismo, uso abusivo de álcool, sedentarismo e distúrbios alimentares.

Uma vez identificado os fatores de estresse é importante adotar medidas para o seu controle como, por exemplo, iniciar a prática de atividades físicas e atividades relaxantes. Erradicar totalmente situações de estresse na vida, provavelmente é algo difícil, porém manter o controle do nível de estresse diário é factível, saudável e, primordialmente, necessário.