A hipertensão arterial é uma doença que não deve ser subestimada, se a pressão aumenta e permanece elevada durante um longo tempo, pode afetar negativamente o corpo de diferentes maneiras, podendo causar doença cardíaca coronária, insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência renal e outras doenças graves.

A hipertensão geralmente não causa sintomas, ou seja, você pode sofrer desse problema sem saber. Precisamente por esta razão, é essencial ser medida regularmente, mesmo que você esteja se sentindo bem. Se a pressão estiver alta é preciso que se inicie o melhor tratamento para evitar que os órgãos sejam comprometidos.

Por isso, vamos entender melhor do que estamos falando e o que você pode fazer para prevenir ou tratar pressão arterial elevada.

 

O que é considerado pressão alta?

É considerado portador de hipertensão quem apresentar 3 aferições de pressão, em diferentes ocasiões, acima de 140×90 mmHg. Uma vez diagnosticada a hipertensão é muito importante o acompanhamento médico para a correta investigação de sua causa e início do tratamento.

 

Quem pode ter pressão alta?

Qualquer pessoa pode desenvolver pressão alta. Estima-se que cerca de 30% da população brasileira tenha pressão alta.

 

Quais são os fatores de risco para desenvolver pressão alta?

  • Idade: com a idade o risco de desenvolver pressão alta aumenta, chegando a 60% de prevalência em maiores de 65 anos.
  • Excesso de peso.
  • Ingestão excessiva de sal.
  • Consumo de álcool por períodos prolongados.
  • Sedentarismo.
  • Fatores genéticos.

 

Quais são os sintomas da pressão alta?

A pressão alta geralmente não apresenta sinais ou sintomas, o que dificulta ainda mais seu diagnóstico e tratamento. No entanto, algumas pessoas podem sentir tontura, mal estar e borramento visual.

Existe tratamento não medicamentoso para pressão alta?

Sim. Existem medidas não farmacológicas para controlar a pressão, entre as mais eficazes estão:

  • Controle de peso.
  • Alimentação adequada – Dieta DASH (“Dietary Approach to Stop Hypertension“).
  • Redução do consumo de sal.
  • Moderação do consumo de álcool.
  • Exercício físico.

A escolha dos alimentos constitui-se um elemento fundamental na prevenção e no tratamento da pressão alta.  Uma boa dieta contra a hipertensão é a DASH (“Dietary Approach  to Stop Hypertension“), os alimentos que constituem esse esquema dietético, em fato, representam muito bem o ideal para uma saudável e correta alimentação:

  1. Escolha alimentos que possuam pouca gordura saturada, colesterol e gordura total. Dê preferência à carne magra, aves e peixes, utilizando-os em pequena quantidade.
  2. Alimente-se com muitas frutas e hortaliças, aproximadamente de oito a dez porções por dia (uma porção é igual a uma concha média).
  3. Inclua duas ou três porções de laticínios desnatados ou semidesnatados por dia.
  4. Alimente-se com oleaginosas (castanhas), sementes e grãos, de quatro a cinco porções por semana (uma porção é igual a 1/3 de xícara ou 40 gramas de castanhas, duas colheres de sopa ou 14 gramas de sementes, ou 1/2 xícara de feijões ou ervilhas cozidas e secas).
  5. Reduza o consumo de gorduras. Utilize margarina light e óleos vegetais insaturados (como azeite, soja, milho).
  6. Evite a adição de sal aos alimentos. Evite também molhos e caldos prontos, além de produtos industrializados.
  7. Diminua ou evite o consumo de doces e bebidas com açúcar.

 

Existem remédios que controlem a pressão?

Se a pressão persistir elevada mesmo após as medidas não farmacológicas, é necessário que se inicie o tratamento farmacológico. O tratamento deve ser individualizado, e manter a qualidade de vida do paciente. Caso o paciente apresente efeitos colaterais com o uso das medicações o médico deve ser avisado. Muitas vezes pode ser necessário a troca do medicamento ou o ajuste de sua dose. Hoje em dia há uma variedade muito grande de medicamentos para pressão alta e certamente existe um que melhor se adapte a cada pessoa.

 

A pressão alta tem cura?

Existem muitas causas que levam a pressão alta. Para algumas delas há cura, para outras não, porém existe tratamento eficaz que possibilita a normalização dos níveis pressóricos e, dessa forma, evitar danos para a saúde. Por isso, é muito importante procurar o médico para a correta investigação do que desencadeou o aumento da pressão e seu devido tratamento.

 

Quem tem pressão alta tem maior risco de desenvolver outras doenças?

Sim, a pressão persistentemente elevada leva a maior risco de desenvolver diversas complicações dentre elas: doença renal, acidente vascular cerebral (AVC), infarto do coração, doenças dos vasos (insuficiência arterial periférica), insuficiência cardíaca, disfunção erétil (impotência sexual), danos à visão.