TESTES E PROCEDIMENTOS USADOS PARA AJUDAR A DIAGNOSTICAR E ESTUDAR O CÂNCER DE LARINGE

Os procedimentos de diagnóstico de câncer podem incluir imagens, exames laboratoriais, biópsia de tumor, exame endoscópico, cirurgia ou teste genético. Os seguintes testes e procedimentos podem ser usados para ajudar a diagnosticar e estudar o câncer de laringe e influenciam a escolha do tratamento:

Examine físico de garganta e pescoço:

Permite ao médico sentir os gânglios linfáticos (ínguas) inchados no pescoço e visualizar a garganta usando um espelho pequeno e de cabo longo para verificar se há anormalidades.

Nasofibrolaringoscopia:

Procedimento no qual um endoscópio (um tubo iluminado flexível) é inserido através do nariz na via aérea superior até a laringe, permitindo que o examinador veja essas estruturas diretamente.

Videolaringoscopia:

Procedimento para examinar a laringe com um espelho ou um laringoscópio (um tubo iluminado rígido) pela boca.

Tomografia computadorizada (CT scan):

Procedimento que gera uma série de radiografias detalhadas de áreas do corpo, tiradas de diferentes direções. Um material de contraste, como uma tintura injetada ou engolida, permite uma melhor visualização dos órgãos ou tecidos.

Ressonância magnética (RM):

Procedimento que usa ondas magnéticas e de rádio para gerar uma série de imagens detalhadas de áreas dentro do corpo.

Esofagografia com Bário:

Procedimento para examinar o esôfago e o estômago em que o paciente ingere uma solução de bário que reveste o esôfago e o estômago, e são obtidas as radiografias.

Biopsia:

Procedimento no qual são coletados fragmentos de tecidos que possam ser vistos sob um microscópio para verificar se há câncer.

O potencial de recuperação do câncer de laringe depende do seguinte:

  • A extensão em que o câncer se espalhou (o “estádio”)
  • A aparência das células cancerosas (o “grau”)
  • A(s) localização(ões) e o tamanho do tumor
  • A idade, o gênero e a saúde geral do paciente

Além disso, fumar tabaco e beber álcool diminuem a eficácia do tratamento do câncer de laringe. Pacientes com câncer de laringe que continuam a fumar e beber são menos propensos a serem curados e mais propensos a desenvolver um segundo tumor.

Tratamento do câncer de laringe

Os indivíduos com câncer de laringe precoce ou inicial podem ser tratados com cirurgia ou radioterapia. Aqueles com câncer de laringe avançado podem precisar de uma combinação de tratamentos. Isso pode incluir cirurgia e uma combinação de radioterapia e quimioterapia, geralmente administradas ao mesmo tempo. A terapia alvo é outra opção de tratamento direcionada especificamente ao câncer de laringe avançado. As terapias específicas contra o câncer são administradas usando drogas ou outras substâncias que bloqueiam o crescimento e disseminação do câncer, interferindo em moléculas específicas envolvidas no crescimento e progressão do tumor. A escolha do tratamento depende principalmente da saúde geral do paciente, da localização do tumor e se o câncer se espalhou para outras áreas. Uma equipe de especialistas médicos geralmente colabora no planejamento do tratamento, que pode incluir:

Outros profissionais de saúde que trabalham em equipe com os especialistas podem incluir dentista, cirurgião plástico, fonoaudiólogo, enfermeiro oncologista, nutricionista e psicólogo. As opções de tratamento dependem do seguinte:

  • A extensão em que o câncer se espalhou (o “estádio”)
  • A localização e o tamanho do tumor
  • Possibilidade de manter a capacidade do paciente para falar, comer e respirar a mais normal possível
  • Se o câncer voltou

A equipe médica descreve as escolhas de tratamento disponíveis para o paciente e quais são os resultados esperados, bem como os possíveis efeitos colaterais. Os pacientes devem considerar cuidadosamente as opções disponíveis e entender como esses tratamentos podem afetar sua capacidade de comer, engolir e falar, e se esses tratamentos irão alterar sua aparência durante e após o tratamento. O paciente e sua equipe de cuidados de saúde podem trabalhar em conjunto para desenvolver um plano de tratamento que atenda às necessidades e expectativas do paciente. Os cuidados de apoio para o controle da dor e de outros sintomas que possam aliviar potenciais efeitos colaterais e abordar preocupações emocionais devem estar disponíveis antes, durante, e após o tratamento do câncer. Os pacientes devem estar bem informados antes de fazer sua escolha.

Se necessário, obter uma segunda opinião médica e/ou cirúrgica pode ajudar. Ter um representante do paciente (membro da família ou amigo) que participe das discussões com a equipe médica é desejável, pois pode ajudar o paciente a fazer a melhor escolha.

Sugere-se fazer as seguintes perguntas à equipe médica:

  • Qual é o tamanho, localização, propagação e estádio do tumor?
  • Quais são as opções de tratamento? Vão incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou uma combinação delas?
  • Quais são os efeitos colaterais, riscos e benefícios esperados de cada tipo de tratamento?
  • Como os efeitos colaterais podem ser controlados?
  • Qual será a qualidade da voz com cada um dos tratamentos acima?
  • Quais são as chances de ser capaz de comer normalmente?
  • Como se preparar para o tratamento?
  • O tratamento requer hospitalização e, se for o caso, por quanto tempo?
  • Qual é o custo estimado do tratamento e será coberto pelo plano de saúde ou seguro médico?
  • Como o tratamento afetará a vida, o trabalho e as atividades normais?
  • Um estudo investigacional (ensaio clínico) é uma boa opção?
  • O médico pode recomendar um especialista para uma segunda opinião sobre as opções de tratamento?
  • Com que frequência e por quanto tempo haverá necessidade de acompanhamento?
2019-07-18T17:40:57+00:00